NOTÍCIAS DO DIA

16/4/2021

 

Produzido em Resende (RJ), Nissan exporta o novo Kicks para a Argentina

 

Em fevereiro o Complexo Industrial da Nissan em Resende, no estado do Rio de Janeiro, iniciou a produção do novo Kicks no Brasil. O SUV já está disponível em todas as concessionárias da marca no país e, agora, começa a desembarcar na Argentina.

 

Como parte do projeto de exportação da Nissan, os primeiros lotes, com um total de mais de mil unidades do Kicks, seguem de navio para atender ao mercado hermano.

 

As unidades saem de Resende em direção ao Porto do Rio de Janeiro e, de lá, embarcam em navios para viagem de cerca de 2.200 quilômetros com destino ao Porto Delta Dock, próximo da cidade de Buenos Aires. É na capital argentina que os veículos são distribuídos para toda a rede de concessionários do país.

 

Segundo a marca, a exportação do utilitário produzido no Brasil reforça a evolução do Complexo Industrial de Resende e a expansão da Nissan na América Latina. A fábrica, que este mês completa sete anos, abastece o mercado nacional e vários países da região, como o Paraguai e a própria Argentina. (Diário do Poder/Geison Guedes)

 

 

 

Mercedes-Benz Uptime estreita conexão entre veículo, concessionárias e fábrica

 

A arquitetura eletrônica da nova geração do Actros, lançado no País na Fenatran de 2019, trouxe no pacote a digitalização e a conectividade como ferramentas para ganhos operacionais. O Mercedes-Benz Uptime foi um deles, recurso que permite acompanhamento integral do veículo seja pela fábrica, rede e transportador.

 

Baseado na inteligência de dados e em conjunto com a conectividade, o Mercedes-Benz Uptime eleva a régua na gestão de frotas. A leitura permanente dos sistemas do veículo permite identificar necessidades de manutenções preditivas e preventivas, evitando paradas indevidas na operação.

 

Os alertas enviados ao motorista e ao gestor determinam o prazo no qual o caminhão precisa visitar a oficina, que ajuda na tomada de decisão, e ainda, a depender do caso aviso de revisões com até duas semanas de antecedência. Pelo programa também o gestor agenda com a concessionária a entrada do veículo, preparando a casa com as eventuais peças.

 

“A solução conecta todos os elos do transporte e proporciona mais disponibilidade e rentabilidade. Contribui com o resultado do negócio no fim do mês”, observa Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas e Marketing da Mercedes-Benz.

 

Desde que começou a ser ofertado, o Mercedes-Benz Uptime beneficia mais de 1 mil Actros da nova geração, ainda o único do portfólio que permite a ativação do serviço, em 725 clientes. A frota impulsiona programa que prepara a rede para também se conectar ao veículo com a instalação de torres de controle. Atualmente, além da central localizada na unidade de Campinas da fabricante, 17 concessionárias já integram o chamado projeto Conectados, beneficiando 350 transportadores com uma gestão compartilhada.

 

De acordo com a Mercedes-Benz, 150 concessionários aderiram ao programa. “A estimativa é de que 50% dos 185 pontos da rede tenham seus centros de controle até o fim de 2021.”

 

Na seara digital ainda a Mercedes-Benz prepara lançamento de dois aplicativos voltados inteiramente para o motorista, o Liga na Estrada e o Jornada da Estrada. O primeiro, com envio de sugestões de aprimoramento de direção, permite criar um campeonato entre motorista, no qual estabelece ranking a partir do desempenho na condução.

 

Já o segundo, integrado ao sistema de telemetria Fleetboard, ajuda no controle do dia a dia do motorista, por exemplo, o tempo de direção versus o de descanso. Os lançamentos estão previstos para o segundo trimestre de 2021. (AutoIndústria/Décio Costa)

 

 

 

Financiamento de veículos usados cresceu 7,5% em 2021

 

De acordo com levantamento realizado pela B3, entre janeiro e março de 2021, as vendas financiadas de veículos usados, cresceram 7,5% ante 2020. Os dados incluem motos, autos leves e pesados. Assim, somando 1 milhão de unidades no país.

 

Dentro deste cenário, se destacaram os financiamentos de autos leves com mais de 12 anos de uso, que registraram aumento de 33,1%. Durante o trimestre, as vendas financiadas de veículos usados representaram 71,4% do total, enquanto no primeiro trimestre de 2020 elas representaram 65,5%. Por sua vez, os financiamentos para veículos novos registraram queda de 18,5%.

 

“No compilado de janeiro a março, percebemos que os veículos usados continuam representando a maior parcela das vendas a crédito. Além disso, notamos maior procura por financiamento de veículos leves com maior tempo de uso. Alguns fatores podem explicar a redução de oferta de carros 0km no mercado, como a paralisação de montadoras com o agravamento da pandemia e a falta de insumos”, avalia Tatiana Masumoto Costa, superintendente de Planejamento da B3.

 

A região Sudeste concentrou a maior parte das transações, com 45,7% dos financiamentos, seguida pela região Sul (21,6%), Nordeste (16,6%), Centro-Oeste (10,3%) e Norte (5,8%). Para visualizar a apresentação com os dados completos para financiamentos de veículos do primeiro trimestre de 2021, clique aqui. https://ybiersolalaorxe.i-mpr.com/link.php?code=bDpodHRwcyUzQSUyRiUyRmJpdHlsaS5jb20lMkZGVlkyRjo1NzI3Njk0Nzc6am9zZWZlcnJhekBmcm90YWNpYS5jb20uYnI6MDA0YTE3 (Frota & Cia/André Garcia)

 

 

 

Setor de serviços cresce 3,7% em fevereiro e supera nível pré-pandemia

 

O volume de serviços do Brasil enfim superou o nível pré-pandemia pela primeira vez ao apresentar crescimento em fevereiro pelo nono mês seguido e bem acima do esperado, mas o setor passa a enfrentar agora uma piora nos casos de coronavírus no país e medidas de restrição mais rigorosas em vários locais.

 

No mês de fevereiro, o volume de serviços registrou avanço de 3,7%, em dado que ficou bem acima da expectativa em pesquisa da Reuters de alta de 1,5%.

 

Com esse resultado, o setor acumula em nove meses de taxas positivas um crescimento de 24,0%, recuperando-se da perda de 18,6% registrada nos meses de março a maio de 2020 devido à pandemia.

 

Também fica 0,9% acima do patamar de fevereiro de 2020, antes de o coronavírus provocar o fechamento dos negócios pela primeira vez, de acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

 

Mas a pesquisa do IBGE mostra ainda que, na comparação com fevereiro do ano passado, houve queda de 2,0% no volume de serviços, 12ª taxa negativa mas também melhor do que a expectativa de recuo de 3,5%.

 

Agora o setor, altamente dependente do consumo presencial, volta a enfrentar problemas conforme o Brasil se torna o epicentro da pandemia no mundo, com novos fechamentos em várias localidades.

 

E além do recrudescimento da doença, os fornecedores de serviços enfrentam ainda o alto nível de desemprego e a inflação.

 

Em fevereiro, foi registrado crescimento do volume de serviços em todas as cinco atividades pesquisadas. O destaque foi a alta de 4,4% em transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, atingindo seu ponto mais alto da série iniciada em janeiro de 2011.

 

“Nesse segmento vêm se destacando as empresas que prestam serviço de logística, que já vinha tendo alta expressiva por conta do aumento das exportações de petróleo e do agronegócio e, durante a pandemia, teve uma grande escalada de demanda, devido ao crescimento das vendas no comércio online", explicou gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo.

 

Os serviços prestados às famílias, que incluem restaurantes e hotéis, tiveram a maior alta do mês, de 8,8%, mas isso se deve à base de comparação baixa, segundo o IBGE.

 

“Os dois meses anteriores foram de queda e, portanto, há um longo caminho a percorrer para a recuperação, estando ainda 23,7% abaixo do nível de fevereiro de 2020”, disse Lobo.

 

O índice de atividades turísticas, por sua vez, teve em fevereiro expansão de 2,4% sobre o mês anterior, segunda alta seguida. Mas, mesmo depois de crescer 127,5% entre maio de 2020 e fevereiro de 2021, ainda precisa mostrar expansão de 39,2% para retornar ao patamar de fevereiro de 2020. (Portal Exame/Reuters)

 

 

 

Nova campanha da Volvo Cars mostra outra maneira de abordar a segurança

 

A Volvo Cars estreia nesta semana no Brasil sua nova campanha com uma mensagem profunda e uma reflexão sobre as mudanças climáticas, que traz um final surpreendente.

 

Assista: https://youtu.be/9-HlLBb64JU

 

O filme mostra toda a expertise da Volvo Cars em segurança como uma lente para refletir a sustentabilidade. Desde a sua fundação, a empresa vem realizando os mais diferentes, sofisticados e tecnológicos testes de segurança com um único objetivo: salvar vidas.

 

“Esse sempre será nosso objetivo e é pra isso que trabalhamos constantemente. Mas as mudanças climáticas são um desafio à nossa segurança e que vai além do que cintos, airbags e outros recursos podem superar”, destaca Rafael Ugo, diretor de marketing Latam Hub para Volvo Car Brasil. “Nesta campanha, a Volvo Cars evidencia sua visão das mudanças climáticas como outro grande desafio à segurança. Estamos chamando isso de teste de segurança final.”

 

A campanha já está no ar no Youtube, nos meios digitais e também no impresso. A partir dos próximos meses ganhará exibição nos canais fechados. (Revista Torque/Inside Out PR)

 

 

 

Motorista profissional tem até 12 de maio para fazer o exame toxicológico intermediário

 

O novo Código de Trânsito Brasileiro, que entrou em vigor na última segunda-feira, passou a punir motoristas que não realizem o exame toxicológico a cada dois anos e meio, o chamado exame intermediário. Ele é exigido desde a criação do exame toxicológico, em 2015, mas não havia punição para quem não realizasse o exame no tempo previsto.

 

Agora, o motorista que não fizer o exame no tempo correto, comete infração gravíssima, com 7 pontos na CNH, suspensão do direito de dirigir por 90 dias, com multa de R$ 1.467,35. Ele precisará passar por reciclagem e fazer novo exame, e só poderá dirigir novamente após ter o exame incluído no RENACH.

 

Para o motorista profissional, que Exerce Atividade Remunerada, e não comprove a renovação do exame toxicológico a cada dois anos e meio no momento da renovação da CNH, a penalidade será uma multa administrativa, com as mesmas punições citadas acima. Isso acontece mesmo que o motorista não esteja trabalhando como motorista profissional, e mesmo sem ter sido flagrado dirigindo no período.

 

Para que os motoristas possam regularizar o exame, se o último toxicológico foi realizado antes de outubro de 2018, o Contran deu o prazo de 30 dias, terminando em 12 de maio. Apesar do tempo extra, a exigência poderá criar uma corrida aos pontos de coleta do exame, mesmo em meio à pandemia.

 

Quando fazer o exame toxicológico

 

O exame toxicológico passa a ser exigido agora para a obtenção e renovação da carteira de motorista, no ato da contratação e demissão de empresa, esses custeados pelo empregador, e também nos intervalos de dois anos e meio, independente da data de validade da CNH.

 

Após a realização do exame, os dados são incluídos automaticamente no prontuário da CNH do motorista, por meio do Registro Nacional de Condutores Habilitados.

 

Como saber se o meu exame já venceu

 

O data de validade do exame toxicológico pode ser conferida pelo aplicativo Carteira Digital de Trânsito, que pode ser baixada na loja do seu celular ou pelo link https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.serpro.cnhe&hl=pt_BR&gl=US. Fique atento para baixar o aplicativo correto, que mostra o Governo do Brasil como desenvolvedor.

 

Após o cadastro, a CNH do motorista fica disponível no celular, e, na quarta tela, após imagem do documento e QR Code, aparece a data de validade do exame, conforme imagem acima. Neste caso, como o exame foi realizado em outubro de 2020, a validade ficou para Abril de 2023.

 

O exame vencido é aquele realizado antes de outubro de 2018, que precisa ser renovado imediatamente.

 

O Deputado Federal Chiquinho Brazão (AVANTE/RJ), apresentou ontem o Projeto de Lei 1.380/2021, que pede a alteração da data da exigência da renovação do exame toxicológico intermediário vencido.

 

O texto do projeto pede que o Artigo 165-B, da Lei 14.071/2020, entre em vigor somente após o encerramento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do Covid-19 (coronavírus).

 

“O motorista cujo prazo do exame toxicológico tenha vencido antes de 12 de abril de 2021 tem 30 dias para realizar novo procedimento, conforme a Resolução 843 do Contran. Ocorre que o prazo de 30 dias não será suficiente para que todos possam realizar novo exame para regularizar a situação. O receio é que as clínicas credenciadas não deem conta de atender à demanda que, seguramente, será grande em função do represamento de casos decorrentes da pandemia. Como até então não havia punição para quem não cumprisse o prazo, muitos condutores deixaram de renovar o exame no prazo determinado”, disse o deputado, na justificativa do projeto, que ainda não tem data para ser analisado.

 

Para ele, é inviável a realização em massa do exame neste momento, podendo aumentar o número de casos do coronavírus, pela exigência gerar aglomeração nos pontos de coleta e ainda agravar a saúde financeira da categoria, com ganhos bastante comprometidos durante a pandemia. (Blog do Caminhoneiro/Rafael Brusque)

 

 

 

A Porsche adota novo processo de produção para o Taycan

 

A Porsche AG desenvolveu um novo processo de produção em sua matriz em Zuffenhausen em colaboração com a Tesa SE. Com esse processo, os orifícios na carroceria do veículo, que são necessários para evitar a corrosão, podem agora ser vedados de forma muito mais efetiva. Esses orifícios são necessários para que todas as cavidades da carroceria possam ser acessadas na linha de pintura. A solução inovadora: adesivos de vedação no lugar de plugues de plástico.

 

O Porsche Taycan totalmente elétrico é o primeiro carro no mundo a se beneficiar desse novo processo. Um robô posiciona mais de 100 adesivos de vedação automaticamente de forma rápida e confiável, vedando os orifícios da carroceria e otimizando a eficiência na produção da Porsche.

 

“A inovação tem sido uma impulsionadora do nosso sucesso comercial,” declarou Albrecht Reimold, membro da diretoria responsável pela Produção e Logística na Porsche AG. “As inovações precisam ser refinadas. E isso demanda coragem e liberdade criativa. A gestão tem como função garantir que essa atmosfera seja estimulada nas operações diárias da empresa.” A Gestão de Inovação da Porsche cuidou da adoção dos adesivos de vedação e em julho de 2020 mais de dois terços de aproximadamente 150 plugues na linha de pintura do Taycan foram eliminados. A linha de pintura na fábrica de Leipzig também adotará a mudança no verão de 2021.

 

“É importante não confundir a nossa solução de adesivos com a fita Tesa que todo mundo conhece e é usada nos escritórios,” explica Dirk Paffe, responsável pela implementação das inovações como Chefe de Planejamento para Processos de Pintura. “Quando os adesivos de vedação especiais da Tesa são aplicados, a remoção deles demanda um grande esforço. Eles fornecem uma solução duradoura que pode resistir aos estresses causados pelo movimento do veículo e ainda ter uma durabilidade maior que o ciclo de vida útil do carro.”

 

Além de tudo, essa solução inovadora reduz a pressão considerável sobre os funcionários: a adoção dos adesivos da Tesa eliminou uma etapa de processo exaustiva em que aproximadamente 3.600 plugues por turno eram posicionados nos orifícios. Esse processo também envolvia despesas adicionais. Além disso, os novos adesivos oferecem vantagens logísticas e reduzem a complexidade, já que um tamanho de adesivo pode ser usado para cobrir todos os quatro tipos de orifícios. Além disso, com a espessura de apenas um milímetro, os adesivos raramente se projetam para fora do orifício, ao passo que os plugues se estendem até seis milímetros em relação à superfície da carroceria. Os adesivos são posicionados de forma confiável por um robô especial.

 

“Na Tesa, acumulamos uma experiência de mais de 20 anos na adesivação manual de adesivos de vedação na linha de montagem até o desenvolvimento do aplicador Tesa para a vedação automatizada de orifícios,” explica Dr Ute Ellringmann, Gerente de Segmento de Mercado, responsável pela vedação de orifícios na Tesa. “Podemos, portanto, garantir a aplicação perfeita de nossos adesivos de vedação com o objetivo de oferecer qualidade máxima e eficiência de processo.”

 

Gestão de Inovação Porsche

 

Um critério essencial para boas ideias na Porsche é a viabilidade futura da empresa. Com esse propósito, a Gestão de Inovação Porsche foi criada em 2016. A equipe de projeto ágil busca ativamente novos desenvolvimentos, disponibiliza recursos financeiros para eles e promove testes internos no estágio inicial. Isso ultrapassa a transferência de conhecimento das corridas para a produção em massa. Cuidar da inovação é um princípio que está ancorado de forma sólida na Estratégia 2030 da Porsche, e é considerado uma questão crucial em todos os departamentos e subsidiárias na Alemanha e em outros países. Além dos tópicos relacionados à produção e ao desenvolvimento, a Gestão de Inovação também se concentra na maior parte das questões de vanguarda: a transição para a mobilidade elétrica, soluções de mobilidade sustentáveis e o impacto da digitalização sobre as empresas, clientes e produtos. Uma ideia com potencial para se tornar uma inovação na Porsche deve, em princípio, atender três critérios: deve ser original e exclusiva, deve beneficiar o cliente e deve agregar valor real à empresa. Os recursos financeiros são destinados a 80-100 projetos por ano, sendo que aproximadamente 70 % desse total evolui para a fase de desenvolvimento.

 

Porsche

 

A Porsche Brasil, com sede em São Paulo, é a primeira subsidiária Porsche na América Latina, tendo a sua operação iniciada em julho de 2015. A rede Porsche no Brasil está presente em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Campinas, Florianópolis, Brasília, Ribeirão Preto, Belo Horizonte e Goiânia. (Coisas de Agora)

 

 

 

Audi Q4 e-tron estreia com autonomia de 520 km

 

Estes são os novos Audi Q4-etron e Q4-etron Sportback, os primeiros SUVs elétricos compactos da Audi. Revelados de forma oficial em uma apresentação online nesta quarta-feira (14), os carros elétricos mais acessíveis da marca alemã apostam em amplo espaço interno, tecnologias inéditas para o motorista e alta eficiência energética.

 

Amplamente antecipado nas últimas semanas, tendo alguns dados técnicos divulgados, o Audi Q4-etron também já teve o interior completamente revelado, mas o visual externo ainda não era totalmente conhecido, em que pese os protótipos camuflados que mostravam parcialmente as formas do SUV elétrico.

 

Design

 

A Audi afirma estar dando um novo passo na linguagem de design de seus carros elétricos com o Q4 e-tron, que mede 4,59 metros de comprimento, 1,86 metros de largura e 1,61 metros de altura e tem distância entre-eixos de 2,76 metros. É um estilo que se caracteriza pelos balanços dianteiro/traseiro curtos, rodas de 19 a 21 polegadas e carroceria com aspecto mais 'musculoso'. No caso do Audi Q4 Sportback e-tron, o destaque é a linha do teto especialmente baixa em estilo coupé que termina em uma traseira onde o spoiler é fixado na parte inferior vidro traseiro.

 

Outro ponto de destaque é aerodinâmica, onde o Q4 e-tron SUV atinge um coeficiente de arrasto de 0,28 e o Sportback chega a um número ainda mais baixo, de apenas 0,26.

 

Como opcional, ambos os modelos podem ser equipados com faróis full LED Matrix, que conta com assinaturas digitais de luz: o motorista pode alternar entre quatro assinaturas no sistema operacional MMI touch. Na parte traseira, uma faixa de luz interliga as lanternas.

 

No interior, o Q4 e-tron ostenta o mais recente design da Audi. Também há painéis sensíveis ao toque no lugar de botões físicos, uma tela multimídia de 11,1", um conjunto de mostradores totalmente digital de série e um head-up display de realidade aumentada opcional, uma das principais novidades.

 

Repleto de tecnologia e conectividade, é possível gerenciar remotamente alguns recursos do carro e utilizar um assistente de voz capaz de reconhecer a linguagem natural, para que você possa operar alguns comandos sem tirar as mãos do volante. Um volante no qual serão incorporados controles de toque, para gerenciar as várias telas de instrumentação e sistemas de assistência ao motorista.

 

Propulsão elétrica

 

O Audi Q4 e-Tron estará disponível em três níveis de potência: um modelo de entrada equipado com um motor elétrico de 125 kW (170 cv) de potência e um modelo intermediário com 150 kW (204 PS), ambos com e 31,6 kgfm de torque, além de uma versão superior com 220 kW (299 cv) e 47 kgfm, sendo as duas primeiras com tração traseira e a última com tração integral quattro. De acordo com a Audi, a versão mais potente pode acelerar de 0 a 100 km/h em 6,2 segundos e alcançar a velocidade máxima de 180 km/h.

 

Modelo: Q4 35 e-tron - Q4 40 e-tron - Q4 50 e-tron quattro

Bateria: 55 kWh (52 kWh) - 82 kWh (77 kWh) - 82 kWh (77 kWh)

Recarga: até 100 kW - até 125 kW - até 125 kW

Potência: 170 CV - 204 CV - 299 CV

Torque: 31,6 kgfm - 31,6 kgfm - 47 kgfm

0-100 km/h: 9"0 - 8"5 - 6"2

Velocidade máxima: 160 km/h - 160 km/h - 180 km/h

Autonomia: 341 km - 520 km - 488 km

 

Baterias e eficiência

 

São duas opções de bateria: 52 kWh líquidos (55 kWh brutos) e 77 kWh líquidos (82 kWh brutos), agrupadas em 9 ou 12 módulos de células. A versão intermediária com 204 cv e bateria de 77 kWh entrega a maior autonomia: 520 km pelo padrão WLTP. O consumo de energia varia entre 15,8 e 17,8 kWh/100 km.

 

Tanto o Q4 e-tron quanto o Q4 e-tron Sportback podem ser carregados com diferentes saídas usando corrente alternada (CA) e corrente contínua (CC), dependendo da bateria. A bateria menor pode chegar a 7,2 kW com carga CA e até 100 kW no carregamento rápido, enquanto a de maior capacidade permite até 11 kW com CA e até 125 kW.

 

A Audi afirma que com 125 kW é possível recuperar 130 km de autonomia em cerca de 10 minutos em condições ideais - como referência, um Volkswagen ID.4 consegue recuperar cerca de 102 km no mesmo período.

 

Preços

 

Modelo mais barato da linha de carros elétricos da Audi, o Q4 e-tron chegará aos mercados europeus em junho de 2021, enquanto a estreia do Q4 Sportback e-tron será no terceiro trimestre. Na Alemanha, os preços começam em 41.900 euros (R$ 285.400), com o acréscimo de 2.000 euros (R$ 13.600) para o Sportback. (InsideEvs/Julio Cesar)

 

 

 

Ministério da Saúde recomenda protocolo no transporte público

 

Contrário a medidas extremas como o lockdown nacional, o Ministério da Saúde pretende publicar orientações sanitárias a estados e municípios neste momento crítico da pandemia. O documento será acompanhado por diretrizes de tratamento de pacientes com covid-19 e campanhas estimulando o uso de máscaras e a ampliação da testagem. “Em situação de pandemia, o ministério tem que trazer essa responsabilidade. Mas a gestão federal não pode interferir na local. O que vamos fazer são recomendações e, se precisar de assessoramento técnico, estamos prontos e vamos oferecer", destacou o líder da pasta, Marcelo Queiroga.

 

Em conversa com jornalistas, ontem, o ministro voltou a se posicionar contra decisões restritivas extremas por ordem federal. “O Brasil é um país de dimensões continentais. Uma medida homogênea, linear, certamente não vai funcionar. É necessário disciplinar, determinar as condutas com medidas para evitar cenários extremos”, disse o ministro. Ele defende, sobretudo, o uso de máscaras, inclusive dentro de casa, caso haja grande movimentação dos residentes.

 

O documento do Ministério da Saúde não prevê punições a quem descumprir as orientações. “Há dificuldade de as pessoas aderirem às medidas, não é uma questão simples”, alegou Queiroga. Para fortalecer a adesão, o ministro frisou a necessidade de uma campanha forte, com um direcionamento alinhado entre a gestão tripartite.

 

Na prática, o principal foco do documento é direcionado à adoção de um protocolo sanitário para o transporte público, considerando ser este um dos principais gargalos atuais que têm colaborado para a disseminação do vírus.

 

Segundo o secretário-executivo da pasta, Rodrigo da Cruz, ainda que haja medidas restritivas de circulação de pessoas, os trabalhadores de serviços essenciais não pararam, e o uso dos coletivos faz parte da rotina do grupo. “É extremamente importante, e essa é a missão que o ministro nos passou, que tenhamos protocolos e procedimentos para transporte público”. Entre as estratégias pensadas está a testagem de passageiros e trabalhadores do setor.

 

Para ampliar a testagem, a pasta considera a liberação do estoque armazenado na central de logística. “Algo em torno de 1,8 milhão de testes com validade até 31 de maio”, completou da Cruz. “Se não previne com bloqueio o vírus, agora, daqui a duas semanas teremos uma estrutura [de saúde] mais demandada ainda”, justificou da Cruz, defendendo ser esta uma estratégia sanitária necessária. (Correio Braziliense/Bruna Lima e Maria Eduarda Cardim)

 

 

 

Stellantis tem 1,1 mil vagas para aprendizes

 

A Stellantis tem 1,1 mil vagas para contratação de aprendizes. Pelo Programa Estelar, jovens de 18 a 22 anos recebem bolsa-auxílio, transporte, alimentação, seguro de vida e auxílio para práticas esportivas ou academia.

 

Os candidatos devem ter Ensino Médio completo e residir em Betim, Contagem, Itaúna, Nova Lima, MG, Campo Largo, PR, Jaboatão, Goiana ou Recife-PE.  As inscrições devem ser feitas até 30 de abril na plataforma 99jobs. Os jovens em situação de vulnerabilidade social terão prioridade no processo seletivo, que será realizado totalmente on-line.

 

A carga horária é de seis horas diárias, de segunda a sexta-feira. Ao longo de dois anos, os aprendizes serão acompanhados por tutores e participarão de cursos técnicos e de qualificação do Senai, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial.

 

Link para inscrição: https://99jobs.com/stellantis/jobs/126178-estelar-programa-de-jovens-talentos-stellantis (AutoIndústria)

© 2018 DC Multimídia       |      Secco Consultoria de Comunicação 

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon